Em resumo

 

Em seus nove anos de funcionamento, entre 2007 e 2016, o projeto Bibliotecas do Saber realizou um feito inédito: criou 182 bibliotecas, a maioria delas em áreas carentes e em regiões rurais do Distrito Federal. Todas com um acervo médio de cinco mil volumes, além de estantes, mesas, cadeiras e computador, em salas destinadas exclusivamente à biblioteca. Em alguns locais essas salas já existiam e foram revitalizadas ou reformadas; em outros, o projeto as construiu.

 

Os números são impressionantes, mas os resultados verdadeiramente importantes deste projeto são imensuráveis. São resultados preciosos que ainda estão se desdobrando e continuarão a repercutir por muitos anos, nas mentes de milhares de crianças e adultos que foram beneficiados pelo convívio com os livros, e daqueles que ainda o serão.

 

Tudo isso começou com uma conversa entre os empresários Antonio Matias e Carmen Gramacho sobre as dificuldades para selecionar funcionários com capacidades básicas de escrita. Ambos achavam que isso se devia à falta de leitura e de estímulo intelectual. Por isso decidiram arregaçar as mangas e criar as Bibliotecas do Saber.

 

A meta inicial era modesta: montar vinte bibliotecas em regiões carentes do DF. O acervo seria reunido com livros doados pela população e recolhidos nos postos da rede de combustíveis que Matias na época administrava. A rede entraria com apoio logístico e financeiro, Carmen comandaria a equipe de voluntários que se reuniu em torno da ideia e a bibliotecária Iza Antunes coordenaria a seleção do acervo e a montagem de cada unidade conforme as normas técnicas.

 

A propaganda para estimular a doação de livros foi feita apenas com cartazes nos postos de combustíveis. Mesmo assim, a contribuição das comunidades superou todas as expectativas: 400 mil volumes apenas no primeiro mês. O sucesso foi tanto que o projeto não parou nas vinte unidades previstas. Em cinco anos a equipe já comemorava a inauguração de cem bibliotecas, sempre com o apoio de Antonio Matias e a coordenação de Carmen Gramacho e Iza Antunes.

 

Ao final de nove anos de atividade, foram recebidos 16,4 milhões de livros, 70% deles aproveitados pela equipe de seleção e distribuídos pelas 182 bibliotecas – além de compor também o acervo de quarenta Estantes do Saber, para alunos com altas habilidades da rede pública de ensino no DF, e das Barcas do Saber, instaladas em navios de assistência hospitalar da Marinha na Amazônia e no Pantanal.

 

Este é um resumo dos resultados mensuráveis do projeto. Para falar um pouco sobre os resultados imensuráveis, realizamos este mapeamento afetivo: um panorama da vida com os livros em doze das Bibliotecas do Saber no DF. “A vida com os livros” também é o título do nosso próprio livro, que conta toda a história deste empreendimento – um volume de 368 páginas que você pode acessar aqui.